segunda-feira, 14 de março de 2011

Recordações fabulosas


O retorno de Luis Fabiano ao São Paulo, sem dúvida alguma, foi a principal notícia do esporte brasileiro na última semana. Um investimento ousado da diretoria tricolor, que é conhecida, desde o fracasso do meia Ricardinho em 2003, por dificilmente gastar grandes quantias em contratações.

Certamente, todos os veículos da mídia esportiva já abordaram os mais variados aspectos do negócio. Assim, prefiro falar sobre a representatividade do atacante na minha, ainda, curta história como torcedor do Tricolor do Morumbi.

O Fabuloso esteve presente em dois momentos extremamente marcantes na minha vida como são-paulino. Curiosamente, ambos aconteceram na Libertadores de 2004. Após diversos anos longe da competição, o São Paulo finalmente voltava a disputar o campeonato mais cobiçado da América do Sul.

Depois de realizar uma primeira fase segura, o tricolor encontrou uma dificuldade tremenda para passar pelo Rosário Central (ARG) nas oitavas-de-final. Após ser derrotado no primeiro jogo, fora de casa, por 1 a 0, o São Paulo precisava vencer por dois gols de diferença. Luis Fabiano teve a chance de colocar o tricolor em vantagem, mas desperdiçou a cobrança de penalidade máxima. Por fim, o time comandado pelo técnico Cuca consegui vencer por 2 a 1 (dois gols de Grafite) e levou a decisão para os pênaltis.

Naquela fria noite de maio, o São Paulo quase foi eliminado, mas a estrela de Rogério Ceni brilhou ao defender a cobrança do também goleiro Gaona e fez do Morumbi uma alegria só. Aquele foi o jogo mais emocionante que já presenciei em um estádio de futebol. Era possível ver a emoção estampada no rosto de cada torcedor. Muitos choraram e a adrenalina não permitiu que eu dormisse cedo.

A segunda lembrança marcante é da semifinal daquela mesma Libertadores. Após empatar por 0 a 0, no Morumbi, o tricolor foi derrotado por 2 a 1, fora de casa, e se despediu da competição continental. Dormir foi uma tarefa complicada. Aquela noite marcou a última vez que chorei como torcedor são-paulino.

Luis Fabiano, até o momento, é o melhor atacante que eu já acompanhei com a camisa do meu clube. Pela raça, pelos belos gols, pela dedicação e, principalmente, por essas duas lembranças. Chegou a hora de escrever um novo capítulo dessa história.

Nenhum comentário: