terça-feira, 30 de novembro de 2010

Como folhas de outono


Vítimas do cotidiano, muitas vezes não temos a sensibilidade necessária para perceber que a história é escrita bem diante dos nossos olhos. Ontem, dia 29 de novembro de 2010, a goleada do Barcelona (5 a 0) sobre o Real Madrid ficará para sempre na memória de quem é fã de futebol.

A verdadeira “surra” imposta pelo clube catalão em seu maior rival foi algo simplesmente humilhante. O show de uma equipe que não investe absurdos contra um time que aposta em contratações galácticas. O triunfo das categorias de base sobre o dinheiro.

Os técnicos brasileiros deveriam assistir todos os dias ao jogo que aconteceu no Camp Nou. Uma aula de futebol bem jogado, com passes certos, movimentação constante e penetração. Sem nenhum volante “brucutu”, o Barça dominou, de maneira inapelável, o meio de campo e arremessou o Madrid nas cordas.

A apresentação de Puyol, Xavi, Iniesta, Villa e Messi deve ter feito Joel Santana arremessar a sua famosa prancheta no lixo. Deve ter feito Tite apagar a lousa. Deve ter feito Carpegiani demolir o laboratório de táticas mirabolantes. Incrédulo, Felipão deve ter se questionado: “como pode um time jogar tanto sem nenhum dia de concentração?” Sim... Além disso, os jogadores se apresentaram no dia da partida e após o almoço!!! E como ficam os anos de estudo do Luxemburgo? É muita falta de respeito! Uma afronta ao esporte!

Enquanto todos no Brasil, o país do esporte bretão, buscam fórmulas e criam teorias do “entrega-entrega”, os Culé se preocupam em praticar, com maestria, algo simples... Como é o nome mesmo??? ...?????....Ahhh lembrei!!! É FUTEBOL!!!

“Os gols no Camp Nou caem como folhas de outono, naturalmente, com a cadência certa, de forma bela e serena. Sinal de prosperidade e saúde no futebol”. (Ramon Besa, do jornal El País)

Se você é fã de futebol e não viu o que aconteceu na Catalunha... Procure no Google ou YouTube. É mais um capítulo importante da história esportiva mundial.

sábado, 20 de novembro de 2010

Sim....eu sei como é!


Um forte abraço para todos os que, assim como eu, sentem na pele as diferenças do cotidiano

Um forte abraço para todos os que, assim como eu, carregam na pele a marca da batalha

Um forte abraço para todos os que, assim como eu, precisam mostrar que são duas vezes melhores para não serem deixados de lado

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Pippo Inzaghi segna per noi


Ontem, dia 4 de novembro, Filippo Inzaghi marcou o seu gol de número 70 em competições européias e tornou-se o maior artilheiro desse tipo de torneio.

Eu poderia escrever um texto enorme para falar sobre os feitos de Pippo, mas Arrigo Sacchi poupou minhas palavras e foi um verdadeiro gigante ao definir o homem que comemora cada gol como se fosse o último.

Se você conheçe Pippo Inzaghi....leia e, fatalmente, concorde:

"Inzaghi, o goleador. Pippo, o infinito. O homem que a cada gol enlouquece de alegria. O jogador que nunca envelhece. O grande campeão que marca sempre. O profissional que vive por sua profissão. O apaixonado pelo futebol que nunca trai. O jogador que faz da obsessão um valor agregado, e inclusive Pavesi escrevia que a obsessão é arte. Portanto, o artista que nunca se cansa de jogar, sonhar e marcar. O atleta que sabe se programar para dar o melhor de si. Pippo é orgulhoso, detalhista, um perfeccionista. Estuda adversários, goleiros: não deixa nada ao acaso, treina com seriedade e grande profissionalismo.

Leva uma vida de atleta de alto nível. Seu desafio é perene, onde o dever é finalizar. Talvez seja egoísta, talvez não participe muito do jogo de equipe. Mas no momento oportuno se encontra no lugar certo no momento certo. O gol é sua profissão, sua droga, seu orgasmo e sua vitória. É uma luta perene, um desafio entre ele e o gol.

O futebol é sua vida, e como pessoa inteligente e de grande consciência profissional, Pippo faz de tudo para buscar a excelência. Seus movimentos são quase todos voltados para a finalização. Prevê, antecipa, intui antes dos outros. Possui reatividade e capacidade de movimento e desmarcação extraordinários: parece sortudo, mas é simplesmente competente. Marca com o pé, cabeça, canela, joelho, barriga, etc. O importante é fazer gol.

Pippo é um predador que na área se movimenta como um envenenado. O instinto, unido a vontade, motivação e paixão formidáveis, multiplicam seu talento. Não possui um físico potente e explosivo. Não é particularmente veloz, tem qualidades técnicas (drible, chute, impulsão e passe) normais como o conhecimento do jogo coletivo. Pippo ama o futebol desde sempre, e desde pequeno queria absolutamente se tornar um grande jogador. A extraordinária motivação, unida a orgulho, seriedade, trabalho e amor pelo esporte, foram multiplicadores das suas qualidades.

Além disso, ele soube ampliar os dotes naturais que possui, como atenção, percepção, intuição. Pippo é um fenômeno a ser estudado e imitado em muitas coisas. Não se sabe quando ele terminará de jogar e marcar: a paixão certamente prolongará sua carreira. Ele se renderá tarde, o mais tarde possível. O futebol é sua vida. Todos os garotos que se aproximam deste esporte podem ter, graças a Pippo, uma esperança a mais.

Até mesmo aqueles que não possuem dotes em particular podem obter grandes melhoras desde que igualem seu empenho, paixão e disciplina. Deverão portanto imitar SuperPippo, que aos 36 anos se diverte, marca e sonha como quando era um garoto.

Arrigo Sacchi - La Gazzetta dello Sport - 17/3/2009".