quarta-feira, 18 de março de 2009

Separação


Hoje me deparei com você... Quem domina boa parte das minhas ações. Por você não tenho vontade de sair de casa, de andar na rua, de ir para a faculdade e de ler. Nunca nada disso me preocupou, conviver com você às vezes evita uma série de problemas em um futuro que nunca chega.

Mas, hoje você me irritou. Curioso, procurei saber os motivos desse desconforto repentino e descobri que você domina muito mais do que minhas ações. Tomou grande parte do meu tempo, da minha vida útil, das pessoas que precisam da minha presença. E o que mais pesou foi saber que por você deixei de pensar e até mesmo de ter sentimentos pelos outros.

Então, ficou fácil saber por que me sinto tão só. É o medo que tenho de me afastar do cotidiano, de tudo aquilo que adquiri durante o tempo, seja bom ou ruim. Um buraco que eu mesmo cavei e uma escolha que fiz. Ser dominado assim não foi uma idéia das melhores e demorei em perceber.

Não consigo entender o que meus amigos querem dizer, não consigo me relacionar com as pessoas por medo de dar errado, tornei-me frio... Não consigo pensar direito e tudo isso porque te aceitei nos momentos em que não deveria.

Enfim, tomei uma decisão. Deixarei você fora da minha vida por um tempo. Pode ser que eu sinta saudades de alguns momentos, mas existem muitas coisas que preciso fazer, sonhos para realizar, uma profissão que não permite ficar com você. Talvez te deixar de lado faça com quem eu erre mais e me exponha de maneira indesejada. Todavia, só assim posso amadurecer e provar o gosto de não viver em vão.

Adeus preguiça... Até um dia desses.